ABRAEC - Plano Nacional de Exportação 2015 - MDIC

Setor privado recebe com otimismo o Plano Nacional de Exportações

Brasília (24 de junho) - O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), Armando Monteiro, apresentou hoje o Plano Nacional de Exportações, projeto que unifica, pela primeira vez, todas as ações e estratégias do governo para exportação de bens e serviços. Além da presença da presidenta Dilma Rousseff e de autoridades do governo, o evento também contou com representantes do setor privado, como o presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson Andrade, e do empresário Jorge Gerdau. A área privada recebeu com otimismo as novas medidas anunciadas pelo governo federal.

Com o slogan "mais Brasil no mundo", o Plano está dividido em cinco pilares: acesso a mercados, promoção comercial, facilitação de comércio, financiamento e garantia às exportações e aperfeiçoamento de mecanismos e regimes tributários de apoio às exportações. O ex-diretor da Federação Nacional das Indústrias de São Paulo, o economista Roberto Gianetti, falou sobre o Plano. "Esses pilares anunciados pelo ministro Armando Monteiro fazem um conjunto bastante harmônico e fundamental para dar competitividade às exportações do país", afirmou.

O empresário Jorge Gerdau também comentou sobre a ação. "No campo empresarial, uma política mais agressiva das exportações é decisiva, porque na medida em que o mercado interno está em ociosidade em muitas atividades, precisamos conseguir exportar mais. Esse é o modo mais rápido para que a economia retome o crescimento. O Brasil tem experiência nessas políticas de aumento e ampliação de exportação, sendo assim, é extremamente importante o Plano lançado hoje", pontuou o empresário.

Financiamento e Garantia

Entre as novas medidas anunciadas pelo governo federal, as ligadas ao financiamento e à garantia às exportações eram das mais aguardadas pelo setor privado. O Plano prevê o incentivo ao financiamento privado das exportações por meio da simplificação e redução de prazos do seguro de crédito às exportações (SCE) e de cobertura do risco do exportador pelo SCE/FGE-Seguro Performance.

Outro ponto anunciado foi a ampliação em US$ 15 bilhões do Fundo de Garantia às Exportações (FGE) no que se refere ao limite para a aprovação de novas operações. As pequenas e médias empresas também contaram com a ampliação de acesso ao SCE. Para a desburocratização na concessão de financiamento público, o Plano cita a importância de maior integração do setor com o Portal Único de Comércio Exterior.

Para o presidente da CNI, Robson Andrade, as medidas anunciadas surgem em momento importante para o país se tornar mais competitivo no mercado externo. "Acordos internacionais, financiamentos e garantia são pontos fundamentais para o Brasil. E nós vimos que no projeto lançado hoje tem a ampliação das garantias. Isso é fantástico, porque é um ponto importantíssimo, além do aumento dos financiamentos. Essas propostas permitem que nossa indústria se torne cada vez mais competitiva fora do país".

Para acessar o Plano Nacional de Exportações, clique aqui.

Fonte:
MDIC - Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior

Tagged on: